sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

João Roberto Ripper - Brasília



Fotógrafo João Roberto Ripper expõe 'Imagens humanas' na Caixa Cultural em Brasilia.A abertura com visita guiada foi hoje as 18 horasEsse é o trabalho de João Roberto Ripper, fotógrafo brasileiro que tem como proposta colocar a fotografia a serviço dos Direitos Humanos.Sua especialidade é a fotografia social, documental e o fotojornalismo.


Brasilia 29/01/2010Além das 60 ampliações dos trabalhos de Ripper, a exposição exibe um grande painel de retratos, com rostos de brasileiros de diversas regiões, selecionadas de um arquivo de mais de 150 mil fotos. Imagens HumanasComo disse o fotógrafo Cartier-Bresson, mais importante do que a fotografia são as pessoas. É com isso em mente que João Roberto Ripper produz suas imagens. Para ele, As imagens tocam cada pessoa de uma forma, mas o que ele busca “é que ao olharem as fotografias, independente das diferentes relações e interpretações que tenham, as pessoas possam sentir um olhar de bem querer sobre os fotografados”.Ripper conta ainda como surgiu a ideia da exposição. Após ser convidado para participar do média-metragem sobre trabalho escravo de Marcos Abujamra, a princípio com o nome “Um dia de trabalho”, que está em fase de finalização, o diretor sugeriu que fosse realizada uma exposição e um livro com suas fotos. Daí surgiu a exposição Imagens Humanas, composta por fotografias de toda a trajetória do fotógrafo.Sobre suas fotos, Ripper conta como algumas se deram: “Eu menti para poder fotografar. Nenhum dono de carvoaria deixaria eu entrar se soubessem o real motivo. Sempre dizia que estava documentando o Brasil grande, que produzia matéria-prima para as indústrias. Trabalhar com a fotografia documental de denúncia é principalmente mesclar a denúncia com a essência da vida dessas pessoas que sofrem as injustiças. É importante que essas fotos tenham o aspecto da denúncia forte, mas têm também espaço para mostrar que ali existem pessoas que sofrem, amam, são bonitas”.


Noite de autografo de Roberto Ripper em Brasilia


Nenhum comentário:

Postar um comentário