quarta-feira, 22 de setembro de 2010


Mensagem do desassossego


Encontrei hoje em ruas, separadamente, dois amigos meus que se haviam zangado um com um o outro. Cada um me contou a narrativa de porque se haviam zangado. Cada um me disse a verdade. Cada um me contou as suas razões. Ambos tinham razão. Ambos tinham toda a razão. Não era que um via uma coisa e o outro outra, ou que um via um lado das coisas e outro um lado diferente. Não: cada um via as coisas exactamente como se haviam passado, cada um as via com um criterio identico ao do outro, mas cada um via uma coisa differente, e cada um, portanto, tinha razão.

Fiquei confuso d’ esta dupla existencia da verdade.

Livro do Desasocego- Tomo I, edição crítica de Fernando Pessoa, volume XII, edição de Jerónimo Pizarro, Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 2010, p. 476

Nenhum comentário:

Postar um comentário