quinta-feira, 28 de abril de 2011

O Espaço f/508 de Fotografia recebe, nesta quinta-feira (28), para um bate-papo, o historiador, roteirista e professor Mauricio Lissovsky. Doutor em Comunicação pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO/UFRJ), Mauricio dedica-se ao estudo da linguagem e história da fotografia, além da elaboração de roteiros para o cinema e a TV.

Estudioso do pensamento de Walter Benjamin, Mauricio Lissovsky pode se...r considerado hoje um dos mais importantes pensadores da fotografia no Brasil. Nos anos 80, quando a produção fotográfica e a pesquisa acadêmica ainda eram bastante dissociadas, Lissovsky participou de eventos marcantes para o fortalecimento de um pensamento fotográfico brasileiro, como as Semanas Paulistas e as Semanas Nacionais de Fotografia.
Autor de importantes obras, como Escravos Brasileiros do Século XIX na Fotografia de Christiano Jr., escrito em parceria com Paulo Azevedo, Mauricio finalizou com a publicação do livro A Máquina de Esperar (2008), uma pesquisa que visava formular uma teoria estética da fotografia moderna a partir da noção de origem em Walter Benjamin e de duração em Henri Bergson.
No livro, autores pouco conhecidos no Brasil, como Geoffrey Batchen e Pedro Miguel Frade, e outros nomes como Deleuze, Heidegger, Simondon e Derrida, são tomados como referência filosófica. Hoje, os autores que o historiador mais tem trabalhado nos cursos são: Giorgio Agamben (filósofo italiano, professor de estética) e Georges Didi-Huberman (historiador da arte francês).
Mauricio Lissovsky defende que a fotografia contém índices de futuro e não apenas índices de passado. Para ele, são estes índices de futuro que tornam estas imagens inteligíveis no tempo presente. Estas e outras questões serão discutidas no bate-papo, que acontece aqui no Espaço, nesta quinta-feira (28), a partir das 20h. A atividade integra o pólo de pensamento do f/508.

Nenhum comentário:

Postar um comentário