sábado, 2 de julho de 2011

Foto e texto de Antônio J. C. Antunes

O ABRAÇO DO ARVOREDO


O tempo não me assusta como aos homens. Nasço de uma coisa pequenina com toda a memória do antanho. E vou subindo e subindo levando em cada espaço a alegria de conviver com tão ligados amigos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário