sábado, 31 de dezembro de 2011

O QUARTO REI MAGO
Luiz Martins da Silva
Tanto se atrasou pelo caminho,
Perdeu da estrela o rumo
Era o Quarto Rei Mago.
Quando enfim, achou, o menino
Já era o Homem, na Cruz.

Pediu perdão a Jesus,
Pelo atraso e única pérola
Restante de tanto empenho
Pelos coxos e mendigos
Que socorreu pelo caminho.

Do Rei dos Judeus, no lenho,
Caída a última lágrima,
Cristal feito agradecimento:
“Em verdade me encontraste
E encontras a todo momento,

Quando amparas um irmão pobre
Ou a um desvalido ao relento.
Lá estarei, estrela-guia,
Do Mago o gesto mais nobre,
Aquele que me dá alegria”.







Nenhum comentário:

Postar um comentário