quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Pronunciamento         do Conselheiro    Roberto Mario  da Silva  Castello,  por ocasião do transcurso dos 100 anos de natalício do Dr. Ernesto Silva no IHGDF (18/09/2014)        
     
Ilustríssimo  Sr. Presidente do IHGDF,  
Coronel Affonso Heliodoro,
Ilustrissima Sra. Presidente do Conbras
Sra. Vera Ramos
Ilustres Conselheiros e Convidados,

 É com imensa satisfação que assumi a honrada cadeira nº 19 do IHGDF,  que tem como patrono o Marechal José Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, sucedido pelo Dr. Ernesto Silva, numa sequência direta com a história da criação e consolidação de nossa cidade.
 Como todos sabem,  Dr. Ernesto Silva  substituiu o Marechal Pessoa na presidência da comissão de planejamento da construção  e da mudança da capital federal, tornando-se  o Militante da Esperança, título  de  seu livro sobre a construção de Brasília. Sua história profissional se confunde com a história desta cidade.
Depois que veio para a nova Capital, aquele candango nunca mais foi embora. Em 1956, foi o responsável por assinar o editorial do concurso do Plano Piloto. Ernesto Silva, mesmo se aposentando como servidor público e se afastando do exercício da Medicina, sempre manteve  sua interação com a cidade  de forma  permanente. Teve uma longa vida de participação nos mais diversos movimentos de Brasília, sobretudo nos ligados à defesa da Capital do País.
“Militar por obrigação, médico por vocação e  humanista por devoção, essa é a minha vida.  Ou seja,  militante da esperança."   

       Foi com essa frase que Ernesto Silva se definiu em seu último pronunciamento público, na quarta reunião da Comissão UnB 50 Anos, na UnB, em 13 de agosto de 2009. Treze dias depois do evento, um dos primeiros candangos da construção de Brasília foi internado no Hospital de Base, para desaparecer, então,  do nosso fraterno convívio físico e habitar, para sempre, a memória dos queridos amigos e parentes e as páginas iniciais da História de Brasília.
Dr. Ernesto Silva se confundia com a própria cidade. Era um cidadão holístico, que estava atento a tudo o que dissesse respeito a Brasília, ao seu desenvolvimento e à sua consolidação. Foi um habitante ilustre e, por seu estilo mineiro de trabalhar, esteve presente em diferentes governos do Distrito Federal  e em órgãos públicos federais. Não tinha inimigos; ao contrário, tinha amigos, e muitos.
Todos nós, que tivemos o prazer, a honra e o privilégio de conviver com o Dr. Ernesto, nos sentimos profundamente consternados  com sua irreparável perda. Em contrapartida, sentimos-nos confortados pelo legado social de sua trajetória retilínea, produtiva, irretocável, que muito concorreu para a formação da Brasília de hoje e para o crescimento pessoal e profissional de cada um de nós que teve a oportunidade de conhecê-lo.
A mim, particularmente, cabe a honrada porém dificílima missão de sucedê-lo neste Instituto. Primeiro, por que o Dr. Ernesto é insubstituível. Segundo, por que todos os esforços que eu possa envidar seriam poucos diante da capacidade e expectativa daquele pioneiro e guardião da Capital Federal.  
Com certeza, o Dr. Ernesto Silva merecerá de Brasília, por ocasião do transcurso dos 100 anos de seu natalício, o merecido e profundo reconhecimento, já que foi – podemos dizer – um autêntico pioneiro, o PIONEIRO DO ANTES, a cuja causa se dedicou com determinação e afinco,  até os últimos dias de sua existência terrena.
Era o que tinha a dizer. Muito obrigado. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário